SANTO, SANTO, SANTO! (Eraldo Bernardo)

Atrevo-me a escrever alguma coisa relativa à Santidade. Não com a profundidade de um teólogo, na acepção do título, mas mediante somente às revelações contidas na Bíblia, a Palavra de Deus.
 
Leio no livro do profeta Isaías (Is.6.1-13) que ele ao retirar-se do templo naquele dia, era um homem totalmente diferente. Seu Ministério recomeçou ali. Aquela ida ao templo Foi totalmente diferente das demais. Entrou um Isaías e saiu um outro, purificado, obediente, ousado,  fortalecido, com o seu “eu” crucificado, frutifero,  abençoador.
 
Como na língua hebraica não há o superlativo como na lingua portuguesa, o mesmo é formado  com a repetição da palavra três vezes. como: Santo, Santo, Santo (Santíssimo). “Santo” significa “separado” (kadosh, em hebraico e Ágios, em grego).
 
Temos aprendido que um dos atributos comunicáveis de Deus é a Santidade. Nele há  a santidade absoluta, em nós, infelizmente, por falta de uma firme vontade de não pecar e por causa  do pecado que tão de perto nos rodeia, existe a santidade relativa.
 
Jesus, quando pôs-se a lavar  os pés de seus discípulos, teve a resistência de Pedro. Foi então que houve o  diálogo seguinte  entre eles:  “ Se eu não te lavar, não tens parte comigo. Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, não somente os meus pés, mas também as mãos e a cabeça. Respondeu-lhe Jesus: Aquele que se banhou não necessita de lavar senão os pés, pois no mais está todo limpo; e vós estais limpos, mas não todos”(Jo.13.9-10- IBB).
 
Os pés. Quando se usa sandálias ficam eles mais vulneráveis. Sabemos que Moisés as usou, bem como Josué e os apóstolos do Senhor Jesus, também.
 
No livro de Deuteronômio está uma recomendação ao povo de Israel, por parte do Senhor, quanto à não presença de nada impuro no meio das doze tribos, como segue: “Terás certo lugar fora do acampamento, aonde sairás, e entre os teus utensílios terás uma estaca, e será que, antes de te acocorares fora, cavarás com ela, e te voltarás e cobrirás o teu excremento. Porque YHVH, teu Deus, anda no meio do teu acampamento para te livrar e entregar os teus inimigos diante de ti. Portanto, o teu acampamento há de ser santo; para que não veja em ti coisa imunda e se aparte de ti” (Dt.23.13,14 – BTX).
 
O texto acima, específico, tem muitas lições para nós. O(a) leitor(a) pode usar a sua imaginação no campo espiritual ...
 
Leio  na aparição do Senhor a Moisés,  assim: “E vendo o Senhor que ele se virara para ver, chamou-o no meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés! Respondeu ele: Eis-me aqui! Prosseguiu Deus: Não te chegues para cá; tira os sapatos dos pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa” (Êx.3:4,5- IBB). Os seus sapatos, pelo contato com excrementos de diversos animais, e outras coisas mais, estavam impuros e era necessária que toda a impureza fosse apartada.
 
Antes de  experimentarmos o extraordinário de Deus em nossas vidas, em nossas igrejas, é necessário que nos apartemos de tudo o que Deus condena em Sua Palavra.
 
O que Ele condena  devemos ter a coragem de condenar também, e não só mentalmente, mas  verbalmente e por escrito , dispostos a pagar o preço, se houver.
 
Outro momento em que vemos a mesma exigência celestial  é na vida de Josué, sucessor de Moisés. Leio assim: “Sucedeu que estando Josué perto de Jericó, levantou seus olhos e eis que viu a um varão em pé na frente dele com uma espada desembainhada em sua mão. E Josué foi até ele e disse-lhe: És tu dos nossos ou de nossos adversários? E ele disse: Não. Eu sou Príncipe do exército de YHVH, que tenho vindo agora. E Josué caiu em terra sobre seu rosto e adorou, e disse-lhe: Que diz meu Senhor a seu servo? Respondeu o Príncipe do exército de YHVH a Josué: Tira o calçado de teu pé, porque o lugar onde tu estás é santo. E Josué fez assim. (Js.5.13-15 – BTX)
 
Os calçados precisaram ser removidos dos pés, porque eram  neles que ficavam as impurezas.
 
Jesus, nosso Senhor e Mestre, que tinha e tem a competência e a autoridade para dizer “Eu, porém, vos digo que...” (Mt.5)  veio nos dizer que essa questão da impureza estava  mais que no exterior, estava  no interior das pessoas. Veja o que Ele diz: “Não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce para o ventre, e é lançado fora? Mas o que sai da boca procede do coração; e é isso o que contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. São estas as coisas que contaminam o homem; mas o comer ser lavar as mãos, isso não o contamina”(Mt.15;17-20 – IBB).
 
Quero lhe compartilhar algo, à semelhança do apóstolo Paulo: “Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado...” (Fil.3.13ª –IBB). Estou refletindo  cada vez mais e me preocupando com isso...
 
Estou querendo agradar ao meu Senhor, estou pela Sua graça, lfocado em minha missão  para ter uma boa avaliação Naquele Dia (precisa ser acima de 7 (rsrsrs)). Estou lidando com o meu Senhor  com respeito, com reverência, com temor (não com medo), com boa vontade, com gratidão, com amor.  Sei que ele não é “meu coleguinha”. Ele é ELOHIM Alef-Tav,  Ele é IAVÉ e todos os outros nomes majestosos e reais  que só Ele tem.
 
Ele é JESUS (Yeshua). “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai” (Jo.1.14 –IBB). Ele é o leão da tribo de Judá.
 
Leio na Palavra, assim: “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”(Hb.12.14).
 
A todos nós que O conhecemos, que Ele nos ajude nessa caminhada da verdadeira santificação.
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar