PAPOTECH: Geração TouchScreen

Recentemente meu filho de 5 anos, chegou perto da "Tia da recepção" na igreja e perguntou com aquela autoridade peculiar das crianças de hoje: "- Tia, qual é a senha do wifi daqui?" Ele queria navegar na Internet no tablet que ganhou do avô.

A facilidade com que as crianças interagem com tablets e smatphones surpreende até gerações de pais já familiarizados com tecnologia. A brincadeira preferida delas não inclui carrinho, bola, boneca, casinha, balanço nem gangorra. Também não exige correria, esconderijo nem amiguinhos para participar. Essas crianças fazem parte da Geração Touchscreen, aquela que nasceu imersa em um mundo com SmartTV na sala, pais falando e trocando mensagens o tempo todo, acesso à internet móvel e telas capazes de responder a um simples toque. Na mão dessa criançada, tablets e smartphones não passam de brinquedos fáceis de usar.

O fenômeno traz mudanças na forma de fazer negócios e a necessidade de reestruturar instituições que ficaram paradas no tempo, como a própria escola. Esta, por exemplo, terá de se adaptar e aproveitar a tecnologia. Jogos interativos e educativos, consultas de livros em bibliotecas virtuais, interação com professores são algumas das oportunidades.

Pais também devem se adaptar e se atualizar. A preocupação com a segurança deles e a nossa ausência não são os nossos únicos problemas. Para que a tecnologia não se torne um tormento na família, alguns cuidados podem ser tomados:
- Jogos eletrônicos não substituem brincadeiras, assim como os amiguinhos virtuais não são os reais;
- Atenção às faixas etárias. Estimular a criança antes da hora pode atrapalhar seu desenvolvimento e causar ansiedade;
- É tentador, mas os aparelhos eletrônicos não devem ser usados somente para que a criança se distraia sozinha. É importante participar das atividades dela, ainda que apenas assistindo um vídeo com ela, por exemplo.
- Dar brinquedos apenas não é suficiente: as crianças também precisam aprender a brincar. Elas devem ser ensinadas sobre o que pode ser feito com aquele brinquedo, seja ele uma bola ou um tablet.

Vale pra mim também!
por Fabio Cunha
@fcbcunha

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar