TOLERÂNCIA (Gleide Rosalee)

Fico eu a imaginar, Senhor,
a me encantar com a Tua infinita paciência,
com a Tua benignidade, com a Tua longanimidade!
Tinhas, no Teu Colégio Apostólico,
um Pedro irritadiço, impulsivo, explosivo;
tinhas um Tomé descrente (e não somente ele),
um João, um Tiago, irmãos, "filhos do trovão";
alguns omissos e um Judas ladrão!
 
Como conseguiste transformar João 
no discípulo do AMOR,
Tomé, num homem cheio de fé,
um Pedro num ser humano manso,
cordato, abnegado!
Até Judas teve oportunidade de se refazer,
pois o Teu sacrifício na cruz, JESUS,
deu a ele a oportunidade de se arrepender
e o consequente perdão, receber!
 
Como posso eu ser intolerante,
perfeccionista,
julgando apressadamente,
baseando-me na aparência, no preconceito,
no desrespeito à dignidade de seres criados
à Tua semelhança, à Tua imagem?
 
Perdoa esses meus pensamentos, 
esses meus julgamentos,
e dá-me o dom do AMOR,
sem o qual não posso enxergar o essencial, 
nem entender, nem abençoar seres humanos
que já são ou poderão ser alcançados,
e por Tua graça e favor,
verdadeira e imediatamente salvos!

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar