Teologia de alto impacto - II (Lécio Dornas)

alt
“Faço um decreto pelo qual, em todo o domínio do meu reino, os homens tremam e temam perante o Deus de Daniel, porque ele é o Deus vivo e que permanece para sempre; o seu reino não será destruído, e o seu domínio não terá fim.  Ele livra, e salva, e faz sinais e maravilhas no céu e na terra; foi ele quem livrou a Daniel do poder dos leões.” ( Daniel 6.26, 27 – EA )
 
Seguindo na trilha da Teologia esboçada no decreto fito pelo rei Dario, além do reconhecimento de Javé como um Deus pessoal, outras visões são agregadas, vejamos:
 
Javé é Deus vivo – “...porque ele é o Deus vivo...”. Dario observou que O Deus de Daniel era vivo, pois viu o resultado indiscutível de sua atuação consusbstanciada no livramento de Daniel da boca dos leões. 
 
O destaque aqui é um golpe teológico contra a idolatria, contrastando com os demais povos: “Porque todos os deuses dos povos são ídolos; o Senhor, porém, fez os céus.” ( 1 Cr 16.26 ) Javé não é objeto de culto ou de veneração, Ele é Deus vivo que intervém, muda cenários, socorre e realiza maravilhas.
Javé não é deus que consome ou que apenas reflete; é Deus que atua e que também interfere e oferece; Deus que galardoa e abençoa.
Nas situações mais difíceis de nossa caminhada, em tempos quando nos sentimos fracos e limitados, mesmo acuados e cerceados de nossa liberdade, precisamos nos lembrar de Javé, o Deus vivo. 
Esse Deus maravilhoso, vivo sempiternamente em Cristo Jesus, que venceu a morte e reina soberanamente pelos séculos dos séculos.
Vivencie Javé: O Deus vivo!

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar