NOÇÕES DE REVELAÇÃO (Luiz Tarquinio)

É conhecida a divisão tradicional do conceito de revelação em: Geral e Especial. A primeira se fundamenta na ideia de que Deus se permite conhecer também por meio daquilo que criou. Por exemplo, podemos conhecer o Seu poder quando percebemos o tamanho e energias acumuladas do sol e sabemos que foi Deus que o forjou. Mas somente com a Revelação Geral não se pode conhecer detalhamentos de Sua pessoa, minúcias teológicas e histórias particulares do Seu relacionamento com os homens. A Revelação Especial de Deus é exatamente a que pormenoriza tudo isso. É a Revelação INFALÍVEL contida nas Escrituras. A Escritura Sagrada é a revelação especial de Deus.

Na Bíblia, encontramos todo o conselho de Deus referente à doutrina. Todos os princípios já estão revelados. Isso não significa dizer que a Bíblia tenha respostas LITERAIS para todos os casos concretos. Não há resposta LITERAL para uma série de questões, mas isso não significa dizer que por intermédio de uma interpretação sistemática não se possa chegar a inferências, respostas e conselhos para todas as questões. Ou seja, por meio de uma exegese comprometida com a coerência e a mensagem pode-se auferir o conhecimento da vontade de Deus para os dilemas da existência.

O erro na consciência da revelação gera o fato de se acreditar que a Bíblia seja MAIS UMA maneira de Deus falar. Isso gera problemas como o dos “romanos” com o fato de acharem que podem legislar “Ultra” e “Extra Escripturas”. Na mesma toada, mas em outra direção do mesmo erro é a frequente tentativa de se colocar a Bíblia em “xeque” enveredando por caminhos que tratam o cânon com ceticismo.

Erros menos discretos são as daqueles que se arvoram na condição de donos de uma nova revelação. Que não negam “in totum” a Revelação, mas que trazem informações novas e adicionam doutrinas, v.g: maometismo, espiritismo, mórmons e outras seitas. Isto “Ultra-Murus”, pois tentativas não faltam de se relativizar as Escrituras dentro dos próprios territórios de alcunhas cristãs. O fato é que nenhum profeta, nenhum pastor, nenhum bispo, nenhum milagreiro, nenhum doutor, nenhum autor, nenhum homem poderá adicionar doutrinas novas que não se encaixem na sistemática bíblica. Por outro lado, não significa que todo o conhecimento acerca dela já tenha sido descoberto, ou seja, que a iluminação esteja fechada a novos descobrimentos, o que está fechado é o cânon, não a possibilidade de descortinamentos de novas verdades JÁ REVELADAS. O Espírito continua Seu processo pedagógico...

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Array
(
    [type] => 8
    [message] => Undefined index: option
    [file] => /home/praze123/public_html/libraries/joomla/environment/uri.php
    [line] => 408
)