O SILÊNCIO DE JESUS (Oswaldo Luiz Gomes Jacob)

alt
        Silenciar na hora certa é uma grande dádiva do Pai. Como precisamos ficar em silêncio nas diversas circunstancias da nossa vida! Silenciar no devido tempo é uma atitude de sabedoria. O nosso silêncio não pode ser confundido com covardia, medo ou conivência com o erro, com a injustiça ou quaisquer formas de pecado. Martin Luther King já dizia: “Eu não me preocupo com o grito dos maus, mas com o silêncio dos bons”. Este silêncio a que o pastor King se refere é o silencio negativo. O silêncio positivo é quando aprendo a ficar calado e deixo o outro falar. Quando ouço mais e falo menos. Na verdade, o silêncio é o equilíbrio dos diálogos. Aprender a silenciar no tempo certo é sinal de prudência, de sabedoria. Tiago já nos ensina: “O homem seja pronto para ouvir (silêncio), tardio para falar e tardio para se irar” (1.19). Este principio bíblico é muito precioso nas nossas relações, inclusive em nossa relação com o Senhor, procurando ouvi-lO mais. Quando silenciamos nós temos a capacidade de aprender e motivar os  outros a repartir o coração. Ouvir é uma arte. 
Jesus para mim é o exemplo de alguém que ensinou pelo silêncio, pois Suas atitudes e Seus atos falavam muito mais alto. Diante dos acusadores da mulher ‘pega’ em flagrante adultério, Ele silenciosamente escrevia na areia. Ele ouviu as duas partes. À luz de cada palavra Ele deu o veredicto. É impressionante a sabedoria do Mestre. Quando da negação de Pedro o Senhor Jesus só olhou (silêncio) para ele. O olhar (silêncio) do Mestre bastou para desencadear em Pedro uma profunda consciência de pecado, de falsidade e falta de compromisso. O olhar de Jesus levou Pedro a chorar amargamente. Jesus apanhou das autoridades religiosas judaicas, sofreu muito em silêncio. Não buscou defesa para si, mas simplesmente confiou na justiça do Pai. O silêncio positivo é uma forma de confiança no Senhor. Diante da dor, nós temos uma das reações: louvar, murmurar ou ficar em silêncio confiando totalmente no Pai Soberano. 
Usar do silêncio é uma forma de comunicar humildade, mansidão e profundo amor. O silêncio sugere um tipo de comunicação eficiente que é a não-verbal. Comunicamos com os olhos, a face, as mãos. Quando o salmista compartilha conosco que ‘esperou paciente ou confiantemente no Senhor’, quer dizer que em silêncio (dos lábios) ele expressou fé e confiança; alegria e paz; harmonia e sintonia interiores e o cântico das entranhas. 
O silêncio é necessário nesta geração tão barulhenta que não o suporta. Ele é terapêutico, pois permite ouvir mais os sinais que estão sendo dados. O silêncio aguça a audição enquanto o barulho a compromete. Ele permite que eu aprenda mais. Que eu ouça a voz das entranhas e, principalmente, a voz de Deus. Precisamos ler a Bíblia de forma quieta, fazer uma leitura das pessoas em silêncio. O silêncio enriquece e amadure aquele que busca. Orar ao Senhor pedindo mais sensibilidade com a Sua manifestação é uma grande virtude. Dentro dos templos, nos hospitais o silêncio é remédio. Pode ajudar em muito o tratamento. 
O Senhor Jesus silenciou no Seu sofrimento, não abrindo a Sua boca (Is 53). Silenciou na Sua morte para, ressurreto, dar as boas novas da justificação ao que crê. Silêncio é trabalhar na dependência de Deus, o Pai, como fez o Senhor Jesus. Uma atitude de coerência. Por ser coerente, morreu por nós. Ele é o amigo silencioso que revela o Seu amor por atitudes e atos para a Glória de Deus Pai. Na Sua humilhação e na Sua exaltação (Fil 2.5-11), ele demonstrou o quanto estava comprometido com a nossa salvação, a nossa santificação e a nossa glorificação. 
 
OSWALDO LUIZ GOMES JACOB, pastor. 
 

Comentários   

 
0 #2 AgradecimentoVinícius 24-06-2015 23:24
Oswaldo que sabedoria há neste texto. Vivi uma situação no serviço em que como resposta deixei apenas o meu silêncio. As pessoas que trabalham comigo no outro dia disseram que se fossem com elas não deixaria baixo, que bateriam de frente. Outro falou que eu tinha que me impor. E eu só disse que eu não canalizo palavras negativas, e que a partir daquele momento eu soube qual era a visão da pessoa sobre determinado assunto. Quando li o que você escreveu sobre "O olhar (silêncio) do Mestre bastou para desencadear em Pedro uma profunda consciência de pecado" me arrepiou. Muito profundo as suas palavras.
 
 
0 #1 SilêncioMarco André Vitório 24-04-2014 13:38
Um dos textos mais sábio que li nos últimos tempos.
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar