A VIDA DE ORAÇÃO DO PASTOR (Oswaldo Jacob)


         * Oração é a conversa da alma com Deus. Nela manifestamos ou expressamos diante dele nossa reverência e nosso amor por sua divina perfeição, nossa gratidão por todas as suas mercês, nossa penitência por nossos pecados, nossa esperança em seu amor perdoador, nossa submissão à sua autoridade, nossa confiança em seu cuidado, nossos anelos por seu favor e pelas bênçãos providenciais e espirituais indispensáveis para nós e para outros. (Hodge, Charles – Teologia Sistemática, Hagnos, SP).

         Nouwen diz: “O silêncio profundo nos leva a suspeitar de que, em primeiro lugar, oração é aceitação. Um homem que ora é um homem com as mãos abertas para o mundo... Embora seja importante e até indispensável para a vida espiritual reservar um tempo para Deus – e somente para ele – a oração só poderá tornar-se constante quando todos os nossos pensamentos – belos ou feios, altivos ou vis, arrogantes ou humildes, tristes ou alegres – puderem ser lidos na presença de Deus”.

         Orar é dialogar com Deus em todo tempo. Paulo aconselha aos irmãos em Éfeso a orarem em todo tempo (6.18; 1 Tm 2.1-4).

         O pastor não pode ministrar o povo sobre Deus se ele não ministrou diante de Deus. Ele não sobe ao púlpito, mas desce ao púlpito para falar ao povo. O homem de Deus tem intimidade com Deus para falar ao Seu povo.

         Nós falhamos quando não investimos tempo e muito tempo na oração, na intimidade com Deus. O povo sabe quando o homem de Deus é de oração, de intimidade com o Senhor. Não é esporádico, mas um estilo de vida. Ninguém deve orar mais que o pastor.

          A falta de oração torna o nosso ministério sem poder, vida, entusiasmo, criatividade, amor, graça, contentamento, dependência de Deus, sem temor, sem glória, sabedoria

         A oração pode morrer mesmo quando proclamamos servir a Deus e não a nós mesmos. De fato, um dos lugares mais carentes de oração pode ser um seminário ou mesmo uma igreja. A erudição acerca de Deus ou a religiosidade em Seu nome podem sutilmente tornar-se substitutos do relacionamento pessoal com Deus (Dr. James Houston – Oração, o Caminho para quem busca a amizade com Deus – Editora Palavra).

         A melhor oração é quando acontece no meio das duras provas (Daniel). Quando estamos passando por crises (Elias). Quando somos perseguidos implacavelmente (Paulo). A vida de oração deve ser construída no solo do sofrimento (Jesus no Getsêmane). A sua matéria-prima é constituída de gratidão, reconhecimento, verdade, integridade, contentamento, serviço, abnegação, humildade, mansidão, sendo tudo unido com o cimento da fé.

         Uma oração de Calvino nos fornece uma percepção da luta espiritual pela qual passa o homem de Deus:

         “Concedas, Todo-Poderoso Deus, que enquanto perseverarmos em batalha neste mundo, e enquanto for da tua vontade testar-nos com muitas provas – Ó Senhor, permita-nos que jamais desfaleçamos, não importa quão duras possam ser as provações que tenhamos de enfrentar. Assim como tu tens nos favorecido com tal honra de sermos edificadores de teu templo, possamos todos nós apresentar-nos e consagrarmo-nos totalmente a ti. Visto que cada um de nós tem recebido algum dom espiritual, que possamos nos empenhar para usá-los na edificação deste templo espiritual, de modo que tu possas ser adorado entre nós para todo o sempre. Em especial, cada um de nós possa oferecer-se como um sacrifício espiritual a ti, até que sejamos renovados à tua imagem e recebidos em participação plena da tua glória, que para nós foi obtida pelo sangue de teu Filho Unigênito”. 

         Há um segredo para a vida de oração do pastor: perseverança. Em João 15.1-11, o verbo permanecer ocorre 12 vezes. A vida de oração em João 15.8 está relacionada a três grandes conquistas (James Rosscup): glorificação, multiplicação e autenticação. Há um ditado comum: “Apenas uma vida, logo passará.  Apenas o que para Cristo for feito sobrará”.   

         Em Efésios 6.18, Paulo nos dá algumas lições muito preciosas acerca da oração:

         A oração é para todas as situações (“com toda oração”). Ela pode assumir qualquer forma: louvor, ação de graças, confissão, petição, intercessão ou declaração (Rosscup).

         A oração é para todas as épocas (“em todo tempo”). Spurgeon comentou sobre orar sete vezes ao dia (Sl 119.164), “em cada toque, em cada curva”. Sete denota completitude na oração e recorrência habitual.

         A oração é toda no Espírito. Ela nos dá direção e, em todos os caminhos, aprende a manter seu compromisso com os propósitos do Espírito (Rosscup).

         A oração é perseverante. Paulo usa duas palavras para perseverança: “estar alerta”; “vigio”(agrypneu); e “apegar-se a” “atentar continuamente”; “fico continuamente com” (proskarteresis).

         A oração é por todos os santos.  Jesus e Paulo (João 15.7,8 e Efésios 6.10-20 – “permanecer” e “estai, pois, firmes”; “orando em todo tempo” e “vigiando com toda perseverença”), definiram a importância da oração no ministério. Oração tão esquecida, tão subestimada hoje. “Não temos tempo...”

         Como pastores, devemos ser exemplos de oração: Na vida pessoal; na vida familiar; nas reuniões cotidianas; nas reuniões de lideres.

         Nas reuniões de líderes dentro do espectro da oração precisamos entender (Rosscup) que:

         A liderança eclesiástica implica supervisão da Igreja de Deus, não da nossa igreja.

         A liderança da igreja implica autoridade, não poder.

         A liderança da igreja implica liderança servil, não liderança tirânica.

         A liderança da igreja implica livramento e confronto, não controle.

         A liderança da igreja implica transferir boa parte do processo de tomada de decisões para os membros do corpo.

         Spurgeon considera a relevância da ORAÇÃO PARTICULAR DO PREGADOR:

         Ele ora como um cristão comum ou de outra forma seria um hipócrita. Ora mais que os cristãos comuns, ou de outra forma seria desqualificado para o cargo que assumiu.

         Ora como marido e como pai; luta para fazer as devoções domésticas um modelo para o seu rebanho; e se o fogo do altar de Deus há de bruxulear (estremecer) em algum outro lugar, é bem mantido na casa do servo escolhido do Senhor – pois ele vela para que os sacrifícios da manhã e da tarde santifiquem a sua habitação.

        Como ministro, ele está sempre orando (Lc 18.1).

        A oração fornece força à alavanca para levantar verdades de peso.

        Os melhores e mais santos homens sempre fizeram da oração a parte mais importante quando do preparo para o púlpito.

         O homem que for poderoso na oração poderá ser uma muralha de fogo ao redor do seu país... e seu escudo. Todos já ouvimos como os inimigos da causa do protestantismo temiam as orações de John Knox mais que a exércitos de dez mil homens.

        O ministro que não ora fervorosamente pela obra que realiza, só pode ser um homem fútil e vaidoso... O pregador que negligencia orar só pode ser muito desleixado quando ao seu ministério.

 

        Joseph Alleine, quando estava bem de saúde, escreve sua esposa, ‘levantava-se constantemente às quatro horas, ou antes, e ficava aborrecido quando ouvia ferreiros ou outros artesãos em suas atividades antes de ele estar em comunhão com Deus, dizendo-me muitas vezes: Como este ruído me envergonha! O meu Senhor não merece mais do que o deles? Das quatro à oito ficava em oração, em santa contemplação e cantando salmos, com que se deleitava muito, e o que praticava diariamente, a sós e com a família.

        Precisamos fazer retiros pessoais. Uma pousada, um sitio, um hotel, onde teremos tranquilidade para um tempo mais qualitativo e quantitativo com Deus.

         E. M. Bounds, escreveu algumas coisas muito significativas sobre o líder e a oração:

        Muita oração é o sinal e o selo dos grandes lideres de Deus.

         Cada líder deve ser preeminentemente um homem de oração. Seu coração deve diplomar-se na escola de oração... Não é possível que alguém fale bem e com sucesso aos homens sobre Deus se não tiver aprendido a falar com Deus sobre os homens.

         O ministro santo e dotado da Igreja da Escócia, Robert Murray MacCheyne, disse: “Em geral é melhor ter pelo menos uma hora a sós com Deus antes de envolver-se em qualquer outra coisa. Devo passar as melhores horas do dia em comunhão com Deus”.

         Quando perguntaram a Spurgeon  qual o segredo do seu sucesso, ele respondeu: Trabalho de joelhos! Trabalho de joelhos!

         Andrew Murray, líder sul africano, perguntou: Qual a razão de muitos obreiros cristãos no mundo não terem uma influencia maior?  Nada além disto – a falta de oração em seu serviço... Nada além do pecado da falta de oração é a causa da falta de uma vida espiritual poderosa.

         Spurgeon clamou: “Oh, que pudéssemos ter quinhentos Elias, cada um em seu Carmelo, clamando a Deus, e logo veríamos as nuvens irrompendo em chuva. Oh, que haja mais oração, mais oração constante e incessante”. 

         A. J. Gordon já dizia há muito tempo: Nossa geração está perdendo rapidamente seu contato com o Sobrenatural; e, em consequência, o púlpito está aceleradamente caindo para o nível do palco. Este declínio, segundo cremos, é devido, mais que tudo, e oração. O Espírito Santo não é derramado através de métodos, mas de homens. Ele não vem sobre maquinas, mas sobre homens. Ele não unge planos, mas homens – homens de oração.

         A oração diária, amados companheiros de jornada profética, prolongada, aumenta a sua semelhança com Cristo e a Sua fragrância espiritual paira onde quer que você vá... A nossa tarefa é grande demais e é ai que precisamos orar, orar e orar. É o preço da oração.

         A ORAÇÃO PREPARA A BENÇÃO DE DEUS PARA CADA SERVIÇO (DUEWEL).

        A oração conjunta é requerida para encher o prédio com a presença de Deus (John Maxwell e os 200 homens de oração em 4 grupos...)

        A oração conjunta ajuda a trazer os necessitados ao culto.

        A oração conjunta pode ungir os cânticos.

        A oração conjunta pode fazer com que a leitura publica das Escrituras fale aos corações.

        Muita oração é necessária para preparar o caminho para a oração pastoral.

         A intimidade do Senhor é para os que O temem (Sl 25.14).

Concluindo: 

         Oração para nós não é alternativa, mas ordem. Não é escolha, mas determinação do Pai que nos chamou com uma santa vocação não para fazermos a nossa vontade, mas a dEle.

         James Houston nos faz refletir acerca da relevância da oração: “Viver sem oração é, afinal, desacreditar em Deus e abrir mão dos mais importantes valores humanos, tais como fé, esperança e amor. Viver sem orar é fruto de ir para cama com todas as atitudes da sociedade secular moderna. Provavelmente, o NT duramente denominaria tais comportamentos como ‘impiedade’.

 

          É fácil ceder ao espírito, secular quando depositamos nossa fé na tecnologia, nossa esperança no pragmatismo e nosso amor no intelecto humano. Todas estas coisas nos capacitam a realizar o que queremos, da forma que desejamos. Em última instância, como expressou C.S. Lewis em ‘O Grande Abismo’, “ou Deus nos diz ‘seja feita a tua vontade’, em condenação e perda, ou nós dizemos a mesma frase a Deus”. No fim das contas, a oração é uma batalha da vontade. Tal conflito nos faz escolher o que realmente desejamos”.

         Agostinho orou assim: “Ouvi, Senhor, a oração para que a minha alma não desfaleça sob a Vossa Lei, nem esmoreça em confessar as misericórdias com que me arrancastes de perversos caminhos. Fazei que a vossa doçura supere todas as seduções que eu seguia. Que eu Vos ame arrebatadamente e abrace a vossa mão com toda a minha alma para que me livreis de todas as tentações até ao fim”.

 

Aprecio muitíssimo a letra do hino 155, que reflete Jesus como o melhor amigo do pastor:

Em Jesus amigo temos,                  Temos lidas e pesares

Mais chegado que um irmão;         E na vida tentação;

Ele manda que levemos                 Não ficamos sem conforto,

Tudo a Deus em oração!               Indo a Cristo em oração.

Oh, que paz perdemos sempre,     Haverá um outro amigo

Oh, que dor no coração,               De tão grande compaixão?

Só porque nós não levamos           Os contritos Jesus Cristo

Tudo a Deus em oração!               Sempre atende em oração.

 

E se nós desfalecemos,

                        Cristo estende-nos a mão,

Pois Ele é sempre a nossa força

E refúgio em oração.

Se este mundo nos despreza,

Cristo é nosso em oração;

Em seus braços nos acolhe

E nos dá consolação.

 

Comentários   

 
0 #3 oraçaomonica sousa gomes 08-12-2015 12:46
peço oraçao para tiago sousa gomes. esta no mundao tomando cachaça usando narguile. nao ouve nem eu nem o pai. ouve mais os amigos que ensinaram usar narguile. ele anda com roupas velhas gasta tudo com narguile bebidas. eu nao aceito em nome de jesus cristo meu filho nessa situaçao. me ajudem em oraçao iemaos. eu nao irei deixar o diabo tomar posso do meu filho. a oraçao tem um grande poder atravez do nosso clamor DEUS vai operar um grande milagres em nossas vida e do tiago.
 
 
0 #2 OraçãoAlfredo 26-08-2014 16:05
Sem dúvida uma edificante lição sobre a vida de oração, com testemunhos de grandes homens que nos animam ainda mais a assumirmos este estilo de vida!
 
 
0 #1 biusanção guimarães 22-07-2014 09:42
orem pela minha saúde finanças em nome de jesus
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar