Mateus (Roberto Louzada)

 

A

crítica é algo que faz parte de qualquer indivíduo. De tudo que vemos, lemos, ouvimos diretamente ou até mesmo ouvimos alguém falar, temos a tendência de tecer críticas. Por isso, quero apresentar a você algo que pode te ajudar a entender melhor a Bíblia, a começar pelo Novo Testamento. Cada livro, carta, será, em poucas palavras, comentado a fim de te ajudar a entender mais um pouco sobre o Livro dos livros. O mais será o conjunto do seu desejo de crescer, com a ação do Espírito Santo em te motivar a ler e meditar, buscando dons e o serviço ao Pai: “Sempre dou graças a meu Deus por vocês, por causa da graça que lhes foi dada por ele em Cristo Jesus. Pois nele vocês foram enriquecidos em tudo, isto é, em toda palavra e em todo conhecimento, porque o testemunho de Cristo foi confirmado entre vocês, de modo que não lhes falta nenhum dom espiritual, enquanto vocês esperam que o nosso Senhor Jesus Cristo seja revelado. Ele os manterá firmes até o fim, de modo que vocês serão irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é Deus, o qual os chamou à comunhão com seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor.” [i] (I Coríntios 1.4-9).

De Mateus ao Apocalipse, será uma narrativa que te edificará rica e abundantemente.

Mateus

O

relato sobre a vida de Jesus não começa com Jesus. Antes disso, Deus trabalhou por um longo tempo. A salvação, que é a principal missão de Jesus no cumprimento das Escrituras ─ algo negado por “n” religiões, seitas, e sociedades científicas ─ é uma questão antiga. Jesus é a reunião da forma final de temas, esforços e o poder de Sua palavra desencadeadas antes da fundação do mundo.

Mateus abre o Novo Testamento estabelecendo a história local de Jesus em seu contexto histórico mundial. Sua intenção era a de nos dar a certeza de que, quando lêssemos as narrativas que envolvem o nascimento, vida, a morte e a ressurreição de Jesus, percebêssemos as conexões com os fatos anteriores. “... porque assim escreveu o profeta” (Mateus 2.5b) é um dos termos característicos de Mateus: isto ou aquilo aconteceu “para que se cumprisse o que o Senhor dissera pelo profeta” (Mateus 1.22). Jesus é único, mas não isolado.


M
elhor ainda, Mateus conta a história de tal maneira que não apenas todos os fatos anteriores a nós se cumprem em Jesus: nossa história também se cumpre nEle. Todos os dias, acordamos no meio de algo que já está acontecendo, que vem acontecendo há muito tempo: genealogia, geologia, história, cultura, o cosmos ─ pela Palavra de Deus. Não somos acidentais nem eventuais nesta história. Recebemos orientação, ensino, antecedentes, confirmação.


M
ateus apresenta um contexto abrangente, pelo qual vemos a criação e a salvação de Deus cumpridas em Jesus, e todas as áreas da nossa vida ─ família, amigos, trabalho, memórias, sonhos ─ também cumpridas nEle. Sem esse contexto ─ o que muitos pensadores religiosos e filosóficos tentam negar ─ corremos o risco de ver Jesus como apenas um homem comum com dons especiais, ou como uma mera distração que nos tira o foco das manchetes estampadas nos jornais. Nada pode estar mais distante da verdade.


O
Escritor: Quando conheceu Jesus, Mateus recolhia impostos para o corrupto rei Herodes e seus superiores romanos. Mateus era um colaborador sem importância da grande máquina que sugava dinheiro dos compatriotas judeus ─ atividade certamente odiada por seu povo, pois, seu trabalho, mais que qualquer outro, representava “vender-se para o inimigo romano”. Ele não parecia ser alguém ocupado com a prática do modo de vida judaico ensinado por Moisés, muito menos provável seria dizer que seu relato a respeito da vida de Jesus é o mais identificado com os judeus dos quatro relatos que temos. Mas ele apresenta Jesus como o Rei-Messias judeu que cumpre as leis de Deus e mostra como os cidadãos do Reino de Jesus podiam realmente viver. Mateus era um dos doze amigos mais próximos de Jesus, uma testemunha ocular dos acontecimentos que mudaram todas as coisas para ele e para nós, os que cremos
em Jesus Cristo.


Escreveu para:
Os judeus que creram que Jesus era o Messias prometido pelas Escrituras Sagradas, eram a escória para os que não acreditaram. Expulsos das sinagogas, os seguidores de Jesus formaram congregações próprias. Mateus escreveu para esses crenes judeus na Palestina, que tinham suas famílias separadas em razão desse conflito e consideravam “amar os inimigos” um bom ideal. Mas ele também teve cuidado de registrar a pregação insistente de Jesus
em que Sua Palavra fosse propagada pelo mundo, não apenas entre os judeus.


O que acontecia na época:
Por volta de
6 a.C. a 30 d.C., o judaísmo na Palestina nessa época estava dividido em várias correntes. Alguns judeus achavam que os sacrifícios no templo de Jerusalém eram essenciais; outros diziam que os sacerdotes eram corruptos e não queriam ter nada com eles. O relato de Mateus é mais rude em relação ao grupo que estava mais próximo do que Jesus praticou: os fariseus. Os rabis (termo fariseu para “professor”) interpretavam os ensinamentos de Moisés, a fim de que fossem postos em prática pelo povo comum. Jesus (sendo também era rabi) possuía o direito de descartar as interpretações deles, muitas das quais eram antigas tradições, em favor daquele que dependia toda a lei: “Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: Ame o seu próximo como a si mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas” (Mateus 22.37-40).[i]

Quero finalizar com “A Grande Comissão” registrada por Mateus quando Jesus, após haver ressuscitado, ordenou aos Seus discípulos:

“... Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos” (Mateus 28.18b-20).

Q
ue Deus te abençoe!


Roberto Louzada Dias – Rio de Janeiro, Outubro de 2011.


[i] Texto adaptado de A Mensagem - páginas 1.375/76, ed. Vida.

[i] Esta e as demais citações bíblicas estão na Nova Versão Internacional - NVI, ed. Vida.
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar