Um Exemplo de Neemias (Roberto Louzada)

A história de Neemias concentra-se na luta do regresso do povo à Terra Prometida e a iniciativa de reconstrução dos muros de Jerusalém, que começou com Zorobabel e teve a continuidade com Esdras. Mas, algo me chamou a atenção nessa iniciativa. Sendo um homem temente a Deus, Neemias, ao ouvir de Hanani e de alguns de Judá que lá estiveram péssimas notícias sobre seus irmãos, que sobreviveram ao cativeiro e permaneceram na cidade, tomou uma atitude singular em relação ao povo de Deus como um todo.
Disseram a Neemias: “Aqueles que sobreviveram ao cativeiro e estão na província passam por grande sofrimento e humilhação. O muro foi derrubado, e suas portas foram destruídas pelo fogo”   (Neemias 1.3). A narrativa continua e percebemos Neemias tomando algumas atitudes:
a.    v.4: sentou-se – Neemias parou para refletir.
b.    v.4: chorou – Seu amor pelo seu povo culminou em choro, em dor.
c.    v.4: passou dias lamentando, jejuando e orando ao Deus dos céus – Aqui caracterizou-se nas atitudes de Neemias sua devoção e ação unidos num propósito: Reconhecer o erro e buscar a bênção de Deus para o Seu povo.
Destaca-se aqui uma ação peculiar de Neemias. Ao orar ao Deus dos céus, disse: “Senhor, Deus dos céus, Deus grande e temível, fiel à aliança e misericordioso com os que te amam e obedecem aos teus mandamentos, que os teus ouvidos estejam atentos e os teus olhos estejam abertos para a oração que o teu servo está fazendo diante de ti, dia e noite, em favor dos teus servos, o povo de Israel. Confesso os pecados que nós, os israelitas, temos cometido contra ti. Sim, eu e o meu povo temos pecado contra ti. Sim, eu e o meu povo temos pecado. Agimos de maneira corrupta e vergonhosa contra ti. Não temos obedecido aos mandamentos, aos decretos e às leis que deste ao teu servo Moisés” (Neemias 1.5-7). Em uma atitude de unidade, de inclusão em um todo como parte inseparável do povo de Deus com o Seu Deus, Neemias sinceramente se inclui como pecador junto com o seu povo: “... Sim, eu e o meu povo temos pecado” (v.6b). Ele, 430-400 anos a.C., entendeu o que o apóstolo Paulo escreveria à igreja de Corinto 500 anos depois: “Ora, assim como o corpo é uma unidade, embora tenha muitos membros, e todos os membros, mesmo sendo muitos, formam um só corpo, assim também com respeito a Cristo. Pois em um só corpo todos nós fomos batizados em um único Espírito: quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um único Espírito” (I Coríntios 12.12,13).
Percebendo assim, arrependo-me das críticas, das condenações que fiz referentes às atitudes de irmãos em Cristo que erram contra as Escrituras Sagradas. Percebendo assim, mesmo tecendo considerações sobre erros e consequente desobediência, porque temos que discernir atitudes erradas das corretas, tenho preferido orar pelo Corpo de Cristo em pecado. Se somos um só corpo, “... quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele; quando um membro é honrado, todos os outros se alegram com ele” (I Coríntios 12.26).
Participar de debates, discussões ou qualquer desses programas midiáticos que criticam, debocham e até envenenam o ouvinte é não perceber que o corpo de Cristo está se maltratando a si mesmo. Hoje, podemos claramente notar denominações cristãs digladiando entre si. Erros são apontados, são expostos, mas não se percebe um clamor pelo povo de Deus.
Sei que há erros grosseiros, mas, quem sou eu para condenar quem quer que seja se, somente Deus sabe se é um escolhido Seu ou não? Não posso esquecer que fui durante muitos anos um religioso apenas. Se Cristo tivesse voltado naquela época, certamente ouviria dEle: NÃO TE CONHEÇO! “Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões ─ pela graça sois salvos. Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus, para mostrar, nas eras que hão de vir, a incomparável riqueza de sua graça, demonstrada em sua bondade para conosco em Cristo Jesus” (Efésios 2.4-6).
Eu e você precisamos orar pelo Corpo que erra. Não há denominações arroladas no Livro da vida. Há somente a igreja de Cristo. Um só corpo, uma só missão: Ir, testemunhar, pregar, fazer discípulos, batizar em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo (Mateus 28.19). O julgamento não é para agora, o resgate, sim.
Não se deixe levar pela carne. Semelhantemente a Neemias, clame a Deus. Ore, jejue por aqueles que estão se prostituindo com a religiosidade anti-bíblica e com a tentativa de comercializar a fé.
Siga a determinação bíblica que diz: “Cresçam, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, agora e para sempre! Amém” (II Pedro 3.18). Coma o pão nosso de cada dia. A leitura bíblica de hoje é para hoje. No deserto, o maná caía do céu diariamente (Êxodo 16). Não adiantava colher para o dia seguinte, pois apodrecia. Hoje, o crescer na graça e no conhecimento do Senhor deve ser diário a fim de discernirmos a Verdade que liberta do misticismo.
Se você ainda não está clamando a Deus pela “reconstrução dos muros”, está na hora de começar, pois, milhões estão comendo farelo e estão desnutridos do Pão da Vida. Se não chorarmos por tantos, quem vai chorar?

“Misericórdia, paz e amor lhes sejam multiplicados” (Judas 2).

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar