Uma Fé Valiosa – II parte (Roberto Louzada)

A inspiração que Pedro, usado pelo Espírito Santo, nos proporciona, continua no capítulo 1.5 de II Pedro:
4. “Por isso mesmo, empenhem-se para acrescentar à sua fé a virtude; à virtude o conhecimento”   – Parece repetitivo, mas Pedro nos chama a atenção para que sejamos responsáveis no empenho de amadurecermos. Fé, dom de Deus previamente concedido, deve ser relacionada à virtude, mudança de caráter, que, por sua vez, não deve dissociar-se do conhecimento da Palavra de Deus.
5. ”Ao conhecimento o domínio próprio; ao domínio próprio, a perseverança; à perseverança, a piedade” (v. 6) – Quem conhece, pensa. Quem pensa, não fala bobagens, não age de maneira inconsequente. Quem pensa, sabe ou reconhece em algum momento que é necessário dar continuidade. Perseverar na fé em Cristo é algo que deve fazer parte da vida, pois isso traz ao coração a piedade, ou seja, “... que façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé” (Gálatas 6.10).
6. “à piedade a fraternidade; e à fraternidade o amor” (v. 7) – A ação vem antes da fraternidade e do amor; Pedro deixa bem claro que não é o ser fraterno e amoroso que precedem a piedade. É agindo que percebemos necessidades. É realizando que desenvolvemos o amor ao próximo. É fazendo que aprendemos a amar.
7. “Porque, se essas qualidades existirem e estiverem crescendo em sua vida, elas impedirão que vocês, no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo, sejam inoperantes e improdutivos” (v. 8) – Uma exortação condicionada à ação. Qualidades que, além de existirem, (se), devem estar em processo contínuo de crescimento. Crente estacionado é crente em declínio, prestes a se tornar inoperante – morno; improdutivo – sem testemunho: “Assim, porque você é morno, não é frio nem quente, estou a ponto de vomitar-te da minha boca” (Apocalipse 3.16).
Por isso a Bíblia é desprezada por muitos. Cristianismo com compromisso requer responsabilidades que muitos não desejam, afinal, muitos líderes não ensinam este dever. Parece que fidelidade a Deus é fardo pesado demais para muitos.
Que Deus nos ajude como igreja a perceber a nossa responsabilidade, o nosso dever, a nossa adoração!
   
“Seja-lhe agradável a minha meditação, pois no Senhor tenho alegria” (Salmos 104.14).
Continua.
SOLI DEO GLORIA.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar