O FUNDAMENTO DOS APÓSTOLOS (Sylvio Macri)

Na sua grande mensagem escrita da prisão a várias igrejas da Ásia, a qual recebeu o nome de  Carta aos Efésios, Paulo diz a respeito da igreja: “(Sois) edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra de esquina.” (Ef.2.20). Pedro fala de maneira parecida quando lembra seus leitores do “mandamento do Senhor e Salvador, dado por meio dos vossos apóstolos.” (2Pd.3.2). João também diz o mesmo, de maneira figurada, quando escreve que o muro da cidade santa, a nova Jerusalém, “tinha doze fundamentos, e neles estavam escritos os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.” (Ap.21.14). 

 

A Rocha sobre a qual está edificada a igreja é Cristo. Como diz Paulo “ninguém pode lançar lançar outro alicerce, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.” (1Co.3.11). O ensino de Jesus nos foi transmitido por meio de seus apóstolos, os quais receberam autoridade para tanto, como está registrado em Mateus 28.16-20 e João 20.23, e aos quais a igreja primitiva reconheceu como autoridade, pois “perseveravam no ensino dos apóstolos” (At.2.43). Por isso temos a expressão “fundamento dos apóstolos”.  

 

Mas não demorou muito tempo para surgirem “falsos apóstolos, obreiros desonestos, disfarçando-se de apóstolos de Cristo”, conforme 2Coríntios 11.13. Paulo os trata com ironia, dizendo que tais fraudadores não somente se achavam apóstolos, mas “superapóstolos” (2Co.11.5;12.11), e alerta que o aparecimento de gente desse tipo não é de admirar, “pois o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz. Portanto, não surpreende que também os seus servos se disfarcem de servos da justiça. O fim deles será de acordo com as suas obras.” (2Co.11.14,15) 

 

Portanto, os “apóstolos” que têm surgido nos tempos atuais não são novidade. Na verdade estão repetindo a mesma prática da época de Paulo: se apresentam como “apóstolos” para poderem lançar outro fundamento. Isto é, querem ter a mesma autoridade conferida por Jesus aos Doze e a Paulo (o apóstolo chamado “por último” - 1Co.15.8,9), a fim de produzirem ensino “canônico”, e assim poderem introduzir “mudanças” na doutrina cristã e manipular as mentes e os corações daqueles que os seguem, os quais nem se dão conta de que tais ensinos errôneos vão contra as Escrituras.         

 

Entretanto, está claro na Palavra de Deus que não há mais apóstolos além dos que temos na Bíblia. A doutrina cristã é a que está revelada nas Escrituras e ponto final.

 

Pr. Sylvio Macri

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar