VIVENDO O REINO DE DEUS (Sylvio Macri)

O tema da Convenção Batista Brasileira para o ano de 2018 é muito bom. Viver o reino de Deus é transformá-lo em uma espécie de motor da nossa experiência diária. O reino se torna algo pulsante dentro de nós, individualmente e coletivamente. Por reino de Deus entendemos o governo divino, e viver este reino significa, portanto, experimentar o domínio de Deus em todas as áreas da nossa vida, em todo o tempo, em tudo que fazemos.
 
Viver o reino de Deus é, como diz a divisa que acompanha o tema (Mateus 6.33), dar prioridade absoluta aos assuntos do reino em tudo que pensarmos, planejarmos e executarmos. Isto significa, como diz o texto, uma busca incessante por conhecer e cumprir a vontade de Deus, e uma prática permanente dos principios de conduta e fé estabelecidos na constituição desse reino, que é a Palavra de Deus, pois é nela que aprendemos sobre a justiça do reino.    
 
O apóstolo Paulo, sem usar a palavra “reino” (que, aliás, usa muito pouco), deu aos coríntios um ensino que expressa esse mesmo sentido: “Portanto, seja comendo, seja bebendo, seja fazendo qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus.” (1Co.10.31). Pedro vai na mesma direção quando diz: “Se alguém fala, fale como quem comunica as palavras de Deus; se alguém serve, sirva segundo a força que Deus concede, para que em tudo Deus seja glorificado por meio de Jesus Cristo, a quem pertencem a glória e o domínio para todo o sempre. Amém.” (1Pd.4.11).
 
De tudo o que dissemos acima se depreende, pois, que viver o reino de Deus é uma experiência radical, podendo afetar profundamente nossos hábitos, convicções e relacionamentos. Na verdade pode até tornar-se uma experiência perigosa, neste mundo de patrulhamento ideológico e da prevalência do “politicamente correto”. Viver o reino de Deus é assumir o risco de se expor à discriminação e ao ódio.
 
Contudo, para o verdadeiro súdito do rei Jesus não há alternativa. Como disse o Senhor, “não podemos servir a dois senhores” (Mt.6.24). Ou somos cidadãos do reino de Deus, com todas as  prerrogativas e deveres, ou aceitamos a oferta do Diabo, que nos propõe usufruirmos os reinos do mundo, se, prostrados, o adorarmos, o que é uma escolha entre o reino da vida e o reino da morte.  
 
Pr. Sylvio Macri
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar