Lembra-se desta foto?

 alt

Kim Phuc, a menina vietnamita que é vista em uma foto fugindo nua de um ataque a bomba durante a Guerra no Vietnã, reencontrou-se pela primeira vez com Christopher Wain, o correspondente de guerra que ajudou a salvar sua vida há 38 anos.
O reencontro foi promovido pela BBC, conforme a matéria abaixo, assinada por Rebecca Lumb
 
Kim Phuc, a menina vietnamita que é vista em uma foto icônica fugindo nua de um ataque a bomba durante a Guerra no Vietnã, reencontrou-se pela primeira vez com Christopher Wain, o correspondente de guerra que ajudou a salvar sua vida há 38 anos.
O reencontro, promovido pela BBC, é tema de um documentário que será transmitido nesta terça-feira pela Rádio 4 da BBC.
O último encontro dos dois tinha sido em 1972, quando o jornalista, na época correspondente da rede de televisão britânica ITN, foi visitar Phuc no hospital.
Ela estava deitada em uma cama, com queimaduras de primeiro grau cobrindo mais de 50% do seu corpo.As queimaduras foram provocadas por uma bomba lançada sobre o vilarejo onde ela vivia, no que na época se chamava Vietnã do Sul.
O ataque aconteceu no dia 8 de junho de 1972. Christopher Wain e sua equipe estavam no Vietnã cobrindo o conflito há sete semanas
"Naquela manhã, chegamos ao vilarejo de Trang Bang, que tinha sido infiltrado pelos vietnamitas do norte dois dias antes. Eles estavam preparados, esperando um contra-ataque", disse Wain.
"No final da manhã, dois bombardeiros vietnamitas começaram a sobrevoar a área."
Muitos dos moradores já tinham procurado abrigo em um templo. Entre eles, a menina Kim Phuc, de nove anos de idade.
"Nós achávamos que ali estaríamos seguros - então vi o avião", conta Phuc. "Chegou tão perto!"
"Ouvi o barulho das bombas e de repente vi o fogo por toda parte, ao meu redor".
"Estava apavorada e corri para fora do fogo. Vi meu irmão e meu primo. Nós continuamos correndo. Minhas roupas foram queimadas pelo fogo."
Wain e sua equipe estavam a 400 metros do ponto onde as quatro bombas de napalm explodiram.
"Houve uma onda de calor, como se alguém tivesse aberto a porta de um forno. Então eu vi Kim e as outras crianças. Elas estavam silenciosas - até que viram os adultos. Então começaram a gritar."
 
 
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar