ORAÇÕES ADJETIVAS (Adalberto Alves de Sousa)

No texto anterior discutimos o adjetivo. Neste vamos falar sobre as orações adjetivas,  aquelas que exercem a função de adjetivo. Caracterizam-se por ser introduzidas por pronomes relativos, que exercem dupla função: substituem na oração subordinada um nome da oração principal; exercem uma função sintática na oração subordinada. Dito dessa forma parece coisa complicada, mas garanto que não é. Continue lendo que você vai entender perfeitamente.

Restritivas – As orações adjetivas restritivas estabelecem uma restrição em relação a um nome da oração principal, da mesma forma como vimos com o adjetivo restritivo. Vejamos este exemplo: “A pessoa que estuda, aprende”. Temos aqui duas orações (dois verbos): a principal é “A pessoa aprende”; a subordinada é “que estuda”. A esta altura você já deve ter feito a relação entre “que estuda” com o adjetivo “estudiosa”:  “A pessoa estudiosa aprende”. Deve também ter enxergado a ideia de restrição em “que estuda/estudiosa”. A pessoa aprende. Qualquer pessoa? Não, a declaração é que a pessoa que aprende é a que estuda.

Explicativas – Orações adjetivas explicativas explicitam ou enfatizam a oração principal. O exemplo esclarece: “Minha mãe, que nasceu em São Paulo, viveu no Rio de Janeiro. A grande diferença entre uma restritiva e uma explicativa é que esta pode ser eliminada do período sem prejuízo da oração principal: “Minha mãe viveu no Rio de Janeiro”, o que não pode acontecer com “A pessoa aprende”, que não tem sentido fora do seu contexto. É preciso prestar atenção para identificar onde há restrição e onde não há. Compare: “O apóstolo que escreveu a carta a Timóteo...” com “O apóstolo Paulo, que escreveu a carta a Timóteo...”. No primeiro exemplo temos uma restrição; no segundo, uma explicação. Se dissermos “O nosso Deus que ouve nossas orações...” estaremos afirmando que temos mais de um Deus; um que ouve nossas orações e outro(s) que não ouve(m). Corrigindo: “O nosso Deus, que ouve nossas

orações...”.

Restritivas na Bíblia (Almeida S21 – grifos nossos)

“para uma herança QUE NÃO PERECE, não se contamina nem se altera” (1Pdro 1.4a).

“Feliz é o homem QUE SUPORTA A PROVAÇÃO COM PERSEVERANÇA” (Tiago 1.12a).

“Entretanto, aquele QUE ATENTA BEM PARA A LEI PERFEITA, A LEI DA LIBERDADE, e nela persevera... será abençoado no que fizer (Tiago 1.25).
Explicativas na Bíblia (Almeida S21 – grifos nossos)

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, QUE NOS REGENEROU PARA UMA VIVA ESPERANÇA, segundo a sua grande misericórdia, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (1Pedro 1.3).

“reservada no s céus para vós, QUE SOIS PROTEGIDOS PELO PODER DE DEUS, mediante a fé” (1Pedro 1.4b,5a).

“E o Deus de toda graça, QUE EM CRISTO VOS CHAMOU À SUA ETERNA GLÓRIA, depois de haverdes sofrido um pouco, ele mesmo vos haverá de reabilitar, confirmar, fortalecer e alicerçar” (1Pedro 5.10).

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Array
(
    [type] => 8
    [message] => Undefined index: option
    [file] => /home/praze123/public_html/libraries/joomla/environment/uri.php
    [line] => 408
)