HOJE PODE SER NATAL

Quando chega o Natal, alguns se enternecem.
Ficam mais solidários, mais sorridentes, mais amigos.
Prestam mais atenção aos outros. Ficam mais queridos.
Dão presentes a amigos e mesmo a desconhecidos.
É como se um vento novo soprasse de longe vindo
E nos põe de mãos dadas, como numa roda de criança 
Decretando que só pensar em nós é desejo findo.
É como se sobre as nossas vidas mandasse a esperança.
O Natal, mesmo que passageiro, é um tempo lindo,
 
Quando chega o Natal, alguns se entristecem.
Diferentemente dos pastores de Belém, têm medo
Diferentemente do sentimento dos anjos, não têm paz.
Dentro do seu coração, a alegria cantada não se faz.
A tristeza se torna a melodia da sua alma desde cedo.
Receber presentes não faz brilhar de novo seus rostos.
Os desejos por plenitude lhes deixam mais exaustos,
Ansiosos por ver logo o ano completamente terminar,
Para não se sentir tão cobrado por nada desfrutar.
 
O Natal é a época em que os bons gestos florescem.
Nele uns celebram com canções o nascimento de Jesus,
Mas outros de sua história extraordinária nada conhecem.
Uns o desfrutam e aos outros o melhor que têm oferecem.
Levantando suas mãos nas trevas para trazer luz,
Outros conjugam apenas o verbo "receber"
e fazem passar os dias, que especiais não parecem.
Uns fazem destes dias um tempo para meditar
Em como fazer a vida, a sua e a dos outros, melhorar.
 
O Natal é para todos, porque para todos Jesus acontece,
Para os que encontram motivos para vibrar
E para os que têm muitas razões para chorar.
Por isto, precisamos contar esta feliz história.
Jesus nasceu para mandar o medo embora.
Jesus nasceu para que nossa alegria fosse completa,
Sem precisar que a nossa mesa esteja repleta
E que nossa galeria de amigos seja imensa.
O Natal é para que nossa jornada seja serena e intensa.
 
Todos precisamos ouvir estes sons que aquecem,
Tocados há milênios mas pode ser que recomecem
Na vida de cada um, tantas eras já decorridas.
O Natal não é registro do passado, mas viva oportunidade.
O Natal pode ser o ano zero de nossas vidas,
Como se de novo nosso próprio corpo estivesse
Envolto num berço tosco mas totalmente amado.
No Natal Jesus definitivamente nos aceitou:
Ninguém precisa mais viver como culpado.
 
O Natal é fato, narrativa e música que permanecem
Como um convite à nossa própria transformação.
Natal é historia que começa na manjedoura no chão.
E segue até alcançar o alto onde a cruz vigora
Para nos tornarmos -- eis o presente! -- de Jesus irmãos. 
O que fazemos diante desta oferta desconcertante
Determina como viveremos hoje e doravante,
Recusando ou aceitando a oferta da reconciliação.
Se ainda não chegou, o Natal pode começar agora.
 
Se queremos que o Natal seja um evento que prevalece,
E não apenas uma linda história sempre recordada,
Enquanto as luzes piscam e a festa é celebrada,
Precisamos fazer uma oração bem pessoal,
Como uma resposta a esta oferta universal:
"Senhor Deus, que enviaste Jesus desde o céu
Eu quero a comunhão a que o Natal convida.
Eu te entrego o meu coração para que seja teu,
Para que Cristo seja o Senhor da minha vida".
 
Israel Belo de Azevedo
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar