BOM DIA: CUIDANDO DE SI MESMO, 1 (Para ouvir)

Se preferir abrir numa janela popup, CLIQUE AQUI.
 
Todos nós cuidamos de outras pessoas.
Os pais cuidam dos seus filhos.
Os professores cuidam dos seus alunos.
Os profissionais da saúde cuidam dos seus enfermos.
Os pastores cuidam dos participantes da sua igreja.
Os chefes cuidam dos integrantes da sua equipe.
Quem cuida dos seus precisa cuidar de si mesmo. Todos temos a tarefa de cuidar de nós mesmos. Esta responsabilidade nos pertence, porque pode ser que ninguém cuide dos que cuidam. Para cuidar do seu filho, por exemplo, uma mãe deve cuidar de si mesma. A compaixão pelo outro precisa de uma paixão por si mesmo.
O autocuidado começa com a compreensão da sua natureza. Alguns cuidadores erram quando partem do pressuposto que a nobreza da sua tarefa os autoriza a negligenciar a atenção com a sua própria mente, com o seu próprio corpo e com a sua própria família. Uma pessoa que, por exemplo, se alimenta mal (seja no sentido biológico ou no sentido intelectual) ficará subnutrida. Quem cuida não precisa se ver a si mesmo como a mais importante das pessoas, como se seu trabalho fosse mais árduo do que o dos outros. Quem mitifica seu ofício se torna escravo dele.
Para compreender bem a natureza do autocuidado, o cuidador precisa se autoconhecer, assumindo privada e publicamente as suas fragilidades. Quando ele fala apenas de suas virtudes, mantém afastadas as pessoas. Quando precisar delas, estarão na distância em que foram colocadas.
Quando se vê como um humilde prestador de serviços de cuidado, o cuidador encontra tempo para descansar. Quem descansa anda mais rápido. Quem descansa pode correr. Quem descansa voa. O Criador de todas as coisas tinha todo o poder do mundo, mas preferiu descansar. Jesus descansava.
Quem cuida bem de si mesmo cuida melhor do outro.
 
ISRAEL BELO DE AZEVEDO