BOM DIA: QUANDO O MAL PARECE VENCER, 2 (Para ouvir)

Se preferir abrir numa janela popup, CLIQUE AQUI.
 
Diante da realidade assustadora do mal, podemos e devemos desenvolver atitudes que ajudam a livrar o mundo do mal.
Eis, então, mais quatro destas atitudes:
 
4. Devemos nos solidarizar com as vítimas do mal, sem minimizar seu sofrimento, sem comparar sua dor com a nossa ou com as dores das outras pessoas. A solidariedade pode incluir como prefácio a crítica, mas os capítulos do livro da solidariedade devem ser escritos com gestos e ações que nos insiram nas vidas dos outros.
 
5. Devemos vigiar o nosso coração, para que ele não fique cheio do sentimento de vingança. É justo que queiramos justiça por meio das regras administradas pelo Estado. No entanto, abrigar a vingança dentro do coração nos torna iguais a quem nos feriu. Devemos tomar cuidado para evitar que o inimigo nos fira duas vezes, uma com o golpe que nos desferiu uma única vez e a outra com a introdução do sentimento da vingança em nosso coração que pode nos magoar para sempre.
 
6. Devemos cuidar para que o medo não nos domine. Não podemos ter medo de viver, de sair à rua para o trabalho, para o estudo, para o lazer, para o convívio. O medo tem o poder de nos aprisionar numa cadeia sem portas, com algemas invisíveis. Precisamos desafiar o medo a viver.
 
7. Devemos desejar e anunciar o Reino de Deus, com as suas marcas, as marcas da paz e do amor. É nossa a responsabilidade de anunciar o Reino de Deus inaugurado por Jesus Cristo, com palavras, orações e ações. Contribuímos para mudar o mundo quando anunciamos o Reino de Deus e vivemos os seus valores, como o da cultura da paz, porque, como aprendemos com Jesus, são felizes os que a promovem. [FIM]
 
ISRAEL BELO DE AZEVEDO