OLHARES NECESSÁRIOS

Para uma criança, família é sinônimo de provisão, proteção e cuidado. É isso que cada familiar precisa providenciar um para o outro. Uma criança não tem um conceito vago de família, mas uma visão muito clara, claramente objetiva. Talvez achemos que uma criança tem uma visão centrada apenas em si mesmo sobre a família. Talvez seja verdade, mas ela não deve ser criticada por isto. Antes, deve ser apreciada por lembrar a família a sua tarefa. Cabe aos familiares, sobretudo aos pais, oferecer à criança o que ela precisa.
A família precisa do olhar de suas crianças.
Para um adolescente, família é sinônimo de provisão, compreensão e aceitação. Um adolescente está no momento de definir o seu conceito sobre família. Muitas vezes, esperamos dele o que ele não está pronto para oferecer. Ele não sabe que não sabe, mas acha que sabe, o que gera conflitos, necessários conflitos. É neste processo que ele se torna o que será. Por isto, o adolescente deve receber dos pais a gratidão por lembrar à família sua tarefa formadora. Também por isto, a família, sobretudo os pais, teoricamente mais sábios, deve oferecer ao(s) seu(s) adolescente(s) o que cada um precisa. A família precisa do olhar de seus adolescentes. 
Para um jovem, família é sinônimo de provisão, orientação e aceitação. Mesmo quando rejeita esses papéis, seduzidos por outros que lhe são apresentados, o jovem precisa de sua família e a família precisa dele. A provisão já pode ser compartilhado por todos os integrantes da casa, a orientação já pode ser debatida, a aceitação tem que ser exercida na mutualidade. Em sua tensão de permanecer-sair, brilha o valor da família, que precisa do olhar dos seus jovens.
Para um adulto, família é sinônimo de responsabilidade e prazer, responsabilidade na provisão, na orientação e no cuidado, e prazer nas conquistas de cada um ali. Adulto é quem tem mais prazer em dar do que receber. A família precisa do olhar dos adultos que a compõem.
Para um idoso que já dispensou os labores profissionais, família é sinônimo de prazer, segurança e cuidado. O prazer vem da percepção que valeu a pena a dedicado aos filhos e netos. A segurança vem da necessidade de apoio, especialmente ao corpo já não tão firme. O cuidado é uma espera para o presente e, sobretudo, para o futuro. A família precisa do olhar dos seus idosos.
Nenhum olhar é superior.
Nenhum modo de ver é melhor.
Nenhum gesto é mais importante.
Numa família, a valorização do olhar e do gesto de cada um é que lhe traz a força para prover, proteger, cuidar, compreender, aceitar, orientar, alegrar-se.
 
ISRAEL BELO DE AZEVEDO
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar